08/09/2013

4- Alberto Santos Dumont

Barbacena é a cidade das rosas e dos loucos 
e do pai da Aviação e 1º piloto brasileiro nas pistas de corrida automobilística 












                         Alberto Santos Dumont 
1º pódio brasileiro 
3º lugar 
Nice - La Turbie 1899


Alberto Santos Dumont 
   nasceu no sítio Cabangu ->
vizinho da fazenda Borda do Campo
(berço de Barbacena
e nele viveu o  despontar 
de sua notável existência





 
E para tornar realidade 
seu sonho dourado
 Albertinho serviu-se de 
imaginação e mecânica:
Leu Verne soltou balão e papagaio
 pediu marraio ->
projetou aeronaves de taquara e palha 
e colheu precoce intimidade 
com engrenagens do maquinário 
de tração e vapor 
existentes na fazenda do pai
Henrique Dumont.
(avô da Aviação)


Rei do café e empreiteiro visionário

 Henrique Dumont pai de Alberto não dormiu no ponto
emancipou o filho sonhador  e o mandou à França.
Filho, disse Henrique, realize seu sonho. Toma sua parte na herança e vai dar um rolé em Paris. Chegando lá não perca tempo fazendo Faculdade, mas prossiga suas experiências na mecânica, física, eletricidade... você sabe, o futuro está aí!



"E eu dizia à mim mesmo: 
vou encontrar novidades em Paris 
balões, dirigíveis, automóveis"






Alberto então desceu a serra 
 percorrendo caminhos de terra
cercados de cafezais 
e bordados de bosta 
da infância querida vivida na roça
Alberto Santos Dumont
 Ícone da Belle Époque


E seguindo conselhos de pai rico e visionário 
para filho corajoso talentoso e responsável 
Dumont desembarcou na Paris Modernista 
centro cultural e científico do mundo 
onde atreveu-se a realizar
 seu sonho dourado 
 tornando-se pai da Aviação
benfeitor da humanidade 
 e 1º piloto brasileiro nas pistas 
do mundo do Automobilismo



Mas exigências e preços irrationnels 
por apenas 2 duas horas de voo em balão sobre Paris
que o levaram "não sem mágoa" ao automobilismo


"Minha experiência com automobilismo serviu muito para minhas aeronaves"_ dizia o
 piloto barbacenense. 


Exímio acertador de motor, Alberto
e seu irmão Henrique
introduziram o automóvel no Brasil





Coqueluche na Belle Époque
as corridas
Paris - Bordeaux 1855
Paris - Marselha 1896
Nice - La Turbie 1899
Paris - Madrid    1903
Contribuíram para aperfeiçoar
motores a petróleo





Motor a petróleo é maquina 
delicada e caprichosa
No seu ronco, dizia Dumont, há nuances 
cujo sentido só é inteligível ao ouvido exercitado



O potencial comercial dos novos motores 
despertou interesse do cientista-empresário 
<- Thomaz Edison que incentivou Dumont:

"O senhor fez bem em escolher motor a petróleo; é o único em que  pode pensar o aeronauta no estado atual da indústria"
- disse o gênio da lâmpada  ao pai da Aviação.




Mas foi voando baixo nas pistas europeias que o tino mecânico de Santos Dumont acertou   o motor Antoinette V-8 para 
características e necessidades do 14-Bis
 O acerto funcionou e o mais pesado que o ar decolou pela 1ª vez  na história do  planeta utilizando seus próprios 
recursos mecânicos
                                             

                                                                         Homem voa!


   Mineirinho tirando onda em Paris














Alberto Santos Dumont 
contornou Torre  Eiffel
com seu Dirigível-5  para conquistar 
o disputado prêmio Deutsch  - 1901
 com dotação de 100 mil francos.






         
     


     O sonho dourado 
     de Santos Dumont
      sonhado acordado 
       na aurora da vida 
      realizou-se em Paris 
         em 23/10/1906   







Volare ô ô
Cantare ô ô ô ô


https://www.youtube.com/watch?v=BQrJUjyDSHI

                                                      



                        



Rasc. Do automotivo ao 14B.
1º solo.

Mais ---->>>

Prêmios e apostas.
Vitória sobre Augusto Severo
(Ex-aluno do Col. Abílio, de Salvador,
antes da fund. Col. Abilio de Barbacena)

Mais--->


Nenhum comentário:

Postar um comentário